google-site-verification=t0RqaUFOILcT8EBxg1NEFiP7WVYlBg00uilQ2klT440
 

Rubiataba-Mozarlândia

Diocese de

Dom Carlinhos completa 90 anos

O menino que entrou para o seminário atraído por um canivete e marcou a história de uma diocese.


Era dia 14 de março; o ano, 1931. Na cidade que abriga a grande Basílica Nacional, na cidade de Aparecida, interior de São Paulo, nascia o filho do casal Carlos de Souza e Judith Oliveira. Deram a ele o nome de José Carlos de Oliveira e nós aprendemos a chamá-lo de Dom Carlinhos.





Missionário Redentorista, Bispo emérito da Diocese de Rubiataba-Mozarlândia, Dom Carlinhos completa 90 anos de uma vida marcada pela simplicidade, humildade, amor aos pobres e ao Evangelho. Entrou para o seminário ainda novo, aos 13 anos de idade e em Janeiro de 1957 foi ordenado sacerdote. Com grande zelo pastoral, foi pároco, pregou missões e foi escolhido como Superior Provincial dos Redentoristas. No ano de 1979, foi chamado para outra missão: ser o segundo bispo da Diocese de Rubiataba-Mozarlândia, missão que exerceu até 2008.


Dom Carlinhos passou quase um terço da vida como bispo neste interior goiano. Durante os 29 anos de episcopado, destacou-se pelo testemunho evangélico de cuidado com os mais necessitados, de modo especial os indígenas. Foi também grande missionário das vocações: considerando que o Seminário foi a obra mais importante para o futuro da Igreja Diocesana, deu o máximo de si pelas vocações e o transformou na “menina de seus olhos”. Com as sementes lançadas vieram os primeiros frutos e muitos outros sacerdotes foram surgindo a partir do testemunho sempre fiel do pastor diocesano.


No campo social, Dom Carlinhos teve importante participação também na fundação da Rádio Vale FM, Faculdade de Ciências e Educação de Rubiataba (hoje UniEvangélica), Comunidade Terapêutica Vida Nova.


Agora, ao completar 90 anos, residindo em Aparecida do Norte, aos pés da Mãe Aparecida, continua, na simplicidade de sempre, a ser o fiel intercessor pela Diocese onde consumiu sua vida com alegria.


Homem dos "vivas", hoje toda diocese, em uma só voz diz "Viva Dom Carlinhos"!





Canivete é sinal de vocação?

O pequeno Carlinhos, quando criança, tinha um sonho: queria de presente um canivete. Porém, papai Carlos e mamãe Judith não aprovaram o pedido. Carlinhos ficou muito triste. No entanto, descobriu que um de seus colegas iria para o seminário e na lista de enxoval adivinha o que ele ganhou? Um canivete. Foi ai que ele teve a ideia! Já sabia como conseguiria o presente: também entraria para o seminário.


Deus tem cada forma de chamar aqueles que Ele escolhe!


A imagem no porão

Certa vez, Padre Carlinhos, agora Superior dos Redentoristas, recebeu a visita de um grande amigo... um bispo que também era Redentoristas. No meio da conversa, o bispo contou que estava construindo um pequeno Santuário em sua diocese, no alto de uma grande pedra. O Santuário seria dedicado a Mãe de Deus, mas ainda não tinha a imagem para colocar na capela. Padre Carlinhos teve uma ideia: pegou uma imagem muito antiga, de Nossa Senhora Menina, que ele costumava usar nas missões com as crianças, mas que agora estava guardada no porão da casa e doou ao bispo que a colocou no Santuário da Pedrona.


Como Deus é providente e prepara os caminhos, alguns anos depois Padre Carlinhos recebeu a notícia que seria bispo. O detalhe, é que a imagem havia sido doada ao amigo Dom Juvenal Roriz, bispo de Rubiataba-Mozarlândia, diocese que Dom Carlinhos agora iria assumir.

Dom Carlinhos na Romaria do Santuário Mãe de Deus, em Rubiataba.

Conheça mais da história de vida de Dom Carlinhos aqui.


Colaboração: Padre Renato Oliveira