google-site-verification=t0RqaUFOILcT8EBxg1NEFiP7WVYlBg00uilQ2klT440
 

Rubiataba-Mozarlândia

Diocese de

Bispos do Regional Centro-Oeste divulgam Nota sobre as Eleições 2022


Na manhã desta sexta-feira, 19 de agosto, o episcopado do Regional Centro-Oeste da CNBB (Igreja no estado de Goiás e Distrito Federal) divulga nota oficial sobre as Eleições 2022 que acontecerão no dia 2 de outubro (primeiro turno) e no dia 30 de outubro (segundo turno). Com a Nota, os bispos oferecem “critérios para a sua participação nas eleições” a partir da força transformadora do Evangelho. Os bispos destacam no documento “que a fé católica, antes de ser um sentimento religioso, é resposta livre e consciente a Deus que se revela plenamente em Jesus Cristo. Por sua vez, esta resposta de fé se traduz no amor a Deus e ao próximo”, por isso, “a participação ativa na política é expressão desse amor, pois, mediante a política, construímos uma sociedade na qual as pessoas, com suas diferenças, convivem em paz graças à justiça, saúde e educação de qualidade”.


A Nota traz ainda seis orientações e determinações para estas Eleições, apoiadas no Evangelho, fonte da Doutrina Social da Igreja. Por ocasião do lançamento oficial da Nota que aconteceu no Programa Santo Café, da TV Pai Eterno, na manhã desta sexta-feira, Dom Waldemar Passini Dalbello, presidente do Regional, e Dom Adair José Guimarães, vice-presidente, destacaram as motivações da Igreja em Goiás e Distrito Federal em divulgar o documento. “A democracia permite a alternância do pensamento no poder e isso nos ajuda a encontrar os melhores caminhos para a sociedade”, declarou Dom Waldemar, que afirmou que a política é expressão do amor e da caridade. “É simplesmente amar aqueles com os quais não convivo, deixar o amor alcançar horizontes mais amplos e eu diria mesmo o valor da casa comum, da ecologia integral, amar as futuras gerações. Pelo amor às futuras gerações eu faço escolhas hoje para que políticas sejam implementadas”.


Já Dom Adair, disse que a Nota traz elementos bem pontuais que nos ajudarão a manter o equilíbrio e responsabilidade nas nossas escolhas. Ele defendeu que independente das diferenças, nas eleições devem prevalecer o respeito ao próximo e comentou que com a Nota, a Igreja em Goiás e no Distrito Federal se posiciona em defesa dos mais vulneráveis. “Dentro de uma democracia a grande preocupação seja que todos possam se beneficiar das riquezas que o país produz e não podemos deixar de lado a preocupação com os vulneráveis, com os que sofrem, aqueles que estão fora do processo de melhoria econômica e a Igreja sempre valorizou isso e sempre esteve ao lado dos pobres e mais carentes e necessitados”.

Leia texto na íntegra

Nota dos Bispos do Regional Centro-Oeste sobre as Eleições 2022


“Bem-aventurados os que promovem a paz, pois eles serão chamados filhos de Deus.” (Mt 5,9)

Neste ano eleitoral, dirigimo-nos aos fiéis de nossas arqui/dioceses e aos homens e mulheres de boa vontade, com esta mensagem, a fim de lhes oferecer critérios para a sua participação nas eleições. Fazemos isso movidos pela missão apostólica, amor e compromisso com a nação brasileira.


Somos cientes da força transformadora do Evangelho de Jesus Cristo ancorado em nossas terras há 522 anos. Aquele que o acolhe vê sua vida ser transformada por Cristo Ressuscitado e descobre que “somos todos irmãos” (Mt 23,8). Por isso, se abre para a comunhão e a solidariedade. Jesus Cristo nos humaniza e assim nos faz construtores de uma sociedade mais justa e fraterna.


Por crermos na verdade do Evangelho é que oferecemos algumas indicações em vista de lhes ajudar em seu discernimento e a favorecermos uma campanha eleitoral à altura da dignidade humana.


Recordarmos que a fé católica, antes de ser um sentimento religioso, é resposta livre e consciente a Deus que se revela plenamente em Jesus Cristo. Por sua vez, esta resposta de fé se traduz no amor a Deus e ao próximo. A participação ativa na política é expressão desse amor, pois, mediante a política, construímos uma sociedade na qual as pessoas, com suas diferenças, convivem em paz graças à justiça, saúde e educação de qualidade.


Vivemos em uma democracia e o escolher os seus representantes é uma de suas expressões. A democracia “assegura a participação dos cidadãos nas opções políticas e garante aos governados a possibilidade quer de escolher e controlar os próprios governantes, quer de os substituir pacificamente, quando tal se torne oportuno” (Papa João Paulo II, Centesimus annus, 46).


Os procedimentos democráticos são autênticos se eles são fundados na verdade da pessoa humana, em sua dignidade e no respeito pelos seus direitos. Por isso, vivamos o processo eleitoral, respeitando uns aos outros em suas opções partidárias, abertos ao diálogo, buscando e optando pela verdade dos fatos. Permitamos a prevalência da paz e da saudável convivência em uma sociedade plural convergente no bem de todos e de cada um. Isso é principalmente válido para os católicos: não permitamos que a comunhão entre nós seja enfraquecida pelas ideologias partidárias ou polarizações. Em tudo guardemos o vínculo da caridade e nos esforcemos em prol de um projeto de sociedade para todos no qual se acolhe a parte da verdade e os valores de cada um sem se tornar refém da prepotência do mais forte (cf. Papa Francisco, Fratelli tutti, 15).


Vale recordar que a Igreja não é partidária e “não pode nem deve tomar nas suas próprias mãos a batalha política para realizar a sociedade mais justa possível. Não pode nem deve colocar-se no lugar do Estado. Mas também não pode nem deve ficar à margem na luta pela justiça” (Papa Bento XVI, Deus Caritas Est, 28).


Apoiados no Evangelho, fonte da Doutrina Social da Igreja, nós, bispos do Regional Centro-Oeste da CNBB, oferecemos aos nossos diocesanos e às pessoas de boa vontade algumas orientações e determinações para as eleições 2022:


1. Avalie o histórico do candidato, seu itinerário político, se tem uma vida honesta e não está envolvido em fraude ou corrupção. Vote apenas em candidato “ficha limpa”;

2. Conheça a proposta de governo do candidato, veja se é um plano consistente e comprometido com o bem comum, em particular com os pobres e excluídos, com a defesa da Casa Comum, da cultura da paz, com uma economia a serviço da vida, e se o candidato é capaz de cumpri-lo;

3. Apoie candidatos defensores e promotores da vida humana e de sua dignidade, que sejam contrários ao aborto e à eutanásia;

4. Divulgue a verdade dos fatos e não espalhe notícias falsas (fake news). Estas são uma ofensa às pessoas, destroem a democracia e a sua disseminação é um delito com consequências morais e jurídicas;

5. Aos sacerdotes e religiosos sob a nossa jurisdição canônica fica vetado o uso das redes sociais, das celebrações litúrgicas, ou outros momentos eclesiais para manifestações político-partidárias, sob pena prevista no Código de Direito Canônico (Cân. 285, §3; 1371, §1);

6. Exceto em locais sagrados, é importante promover encontros com candidatos de partidos diversos, moderados por um membro da comunidade eclesial, visando conhecer suas propostas.

Convidamos os fiéis católicos e os homens e mulheres de boa vontade ao exercício da corresponsabilidade na construção de um Brasil mais solidário por meio do voto, da participação ativa no acompanhamento dos eleitos e na construção, implementação e fiscalização das políticas públicas de Estado.


Que a bênção do Deus Trino, perfeita comunidade, e o cuidado materno da Mãe Aparecida acompanhem nossos passos rumo a uma sociedade justa e fraterna.


03 de agosto de 2022.


Bispos do Regional Centro-Oeste da CNBB


Dom Waldemar Passini Dalbello Bispo de Luziânia Presidente

Dom Adair José Guimarães Bispo de Formosa Vice-Presidente

Dom Francisco Agamenilton Damascena Bispo de Rubiataba-Mozarlândia Secretário