google-site-verification=t0RqaUFOILcT8EBxg1NEFiP7WVYlBg00uilQ2klT440

Rubiataba-Mozarlândia

Diocese de

Visita ‘ad Limina Apostolorum’: manifestação da comunhão da Igreja

Os 18 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se preparam para ir a Roma, em Visita ‘ad Limina’, neste ano de 2020. O primeiro regional será o Centro-Oeste (Goiás e Distrito Federal), que estará em visita oficial ao papa Francisco, nos dias 8 a 18 de fevereiro, sendo que a audiência com o Santo Padre será no dia 11.

Bispos do Regional Centro-Oeste na Visita ad limina, no ano de 2010

O que é essa visita?

Essa peregrinação a Roma, que acontece a cada cinco anos, denominada “Visita ad limina Apostolorum”, significa no liminar, na soleira, nos limites ou estradas (limina) das Basílicas dos Apóstolos Pedro e Paulo, onde os bispos diocesanos visitam os sepulcros dos Apóstolos, conservados, segundo a tradição, na Cidade de Roma.


A visita é uma antiga tradição da Igreja e uma graça de Deus, pois permite aos bispos estarem reunidos juntos à Sé de Pedro. É voltar às fontes originais onde a vida e o carisma iniciaram o caminhar da Igreja, para reavivar e fortalecer o significado desses locais, na vida e na missão dos pastores da igreja de nosso tempo. Essa peregrinação também é uma visita de trabalho, de reuniões e de contatos que os bispos realizam junto à Santa Sé e seus diversos organismos, dicastérios (departamentos), conselhos e comissões pontifícias.


Uma visita de comunhão

Dom Waldemar Passini Dalbello, bispo diocesano de Luziânia e presidente do Regional Centro-Oeste, explicou que a Visita ‘ad limina’ vem sendo preparada há alguns meses por ser um momento oficial dos bispos com o papa. Segundo ele, o mais importante na visita é a possibilidade de encontros. “A Visita ‘ad limina’ revela a busca da comunhão entre os bispos e o sucessor de Pedro, o papa. Certamente não se trata de uma visita informal para uma troca de ideias. É uma visita programada, preparada desde muito antes. Levamos em nossos corações a esperança de crescer na fidelidade a Deus no cumprimento de nossa tarefa. A missão dos bispos exige contínuo discernimento, e queremos ser auxiliados pelos organismos da Santa Sé que estão colaborando diretamente com o papa. Queremos ouvir o que Francisco tem a nos dizer, para sermos melhores e para qualificarmos a ação evangelizadora em nossas dioceses”, relatou o bispo.


Comunhão de oração

Ao povo de Deus nas comunidades, paróquias, dioceses, Dom Waldemar pede que estejam em sintonia e em oração pelos bispos. “A visita do bispo diocesano ao papa, aos túmulos dos Apóstolos Pedro e Paulo, deve ser um convite a renovar o esforço de comunhão para os irmãos das comunidades católicas de cada diocese. Os primeiros cristãos ‘perseveravam na doutrina dos apóstolos’, e nós também crescemos na vivência da fé quando fugimos de todo relativismo e daquela indiferença ou passividade que ameaça nossa experiência religiosa. A doutrina dos apóstolos nos propõe a via do Evangelho, da autenticidade, do fervor espiritual, da caridade criativa e atual. Neste momento de preparação, peço a todos os fiéis católicos que nos acompanhem com suas orações. Que os frutos da Visita 'ad limina' sejam abundantes!”, concluiu.


A Visita poderá ser acompanhada pelo site e redes sociais do Regional Centro-Oeste da CNBB e pela TV Pai Eterno.


A Diocese de Rubiataba-Mozarlândia será representada pelo seu Administrador Diocesano Monsenhor Vanildo Fernandes da Mota.


fonte: CNBB-CO

Arquivo
Tags

© 2014 por PASCOM RuMo. Resiolli/WIX.com

Tel - (62)3348-6187

dioceserumo@hotmail.com

Rua João Paulo II, Q. 08, L. 06 St Camões 

76700-000 Mozarlândia/GO