google-site-verification=t0RqaUFOILcT8EBxg1NEFiP7WVYlBg00uilQ2klT440 Eis-aqui a Serva do Senhor: Solenidade da Anunciação do Senhor | Diocese de Rubiataba

© 2014 por PASCOM RuMo. Resiolli/WIX.com

Tel - (62)3348-6187

dioceserumo@hotmail.com

Rua João Paulo II, Q. 08, L. 06 St Camões 

76700-000 Mozarlândia/GO

Rubiataba-Mozarlândia

Eis-aqui a Serva do Senhor: Solenidade da Anunciação do Senhor

25/03/2017

Nove meses antes da celebração do Natal a Igreja celebra, a 25 de março, a Solenidade da Anunciação do Senhor. Sobressaem nesta solenidade dois pontos principais: é a inauguração da entrada do mistério de Deus (seu Filho Jesus Cristo) no mundo e ao mesmo tempo, pela obediência de Maria, a desobediência da humanidade em Adão chega ao fim.

 

 

Maria, tenda viva da presença de Deus

O Evangelho de São Lucas é o que apresenta melhor o rosto da Mãe de Cristo ao preocupar-se em narrar os acontecimentos que cercam a vocação da Virgem de Nazaré e a grandiosidade do nascimento do “fruto do seu ventre” (cf. Lc 1,26-38). Como que por analogia a presença de Deus no Antigo Testamento, em Lucas “Maria aparece como a tenda viva de Deus, na qual Ele quer habitar, de um modo novo, no meio aos homens”.[1]

 

Agraciada de Deus

Na perspectiva de discipulado de Lucas, Maria também tem seu momento vocacional: na anunciação é posta diante de um projeto – o projeto de Deus – que vai além de seus interesses pessoais. O anjo que lhe é enviado como portador do convite do Altíssimo é Gabriel, o mesmo que anunciara antes a Zacarias o nascimento de João Batista. No entanto, chama atenção a saudação do Anjo: “cheia de Graça” ou “agraciada”, já que Maria de Nazaré “não dispõe de nenhum título de nobreza. Ela é a mulher “agraciada” aos olhos de Deus e tal expressão carrega o significado e conteúdo da vocação de Maria de Nazaré.

 

Serva do Senhor

Maria, como discípula, é a mulher obediente: ouve o anúncio do anjo e acredita no projeto de Deus dando seu consentimento por meio do “Eis aqui a Serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” (cf. Lc 1,38), e “com essas poucas e simples palavras realizou-se o maior e mais decisivo ato de fé na história do mundo”.[2]

 

Com alegria contemplamos o mistério do Deus Todo-Poderoso, que na origem do mundo cria todas as coisas com sua Palavra, porém, desta vez escolhe depender da Palavra de um frágil ser humano, a Virgem Maria, para poder realizar a Encarnação do Filho Redentor.

 

 “Ó Deus, quisestes que vosso Verbo se fizesse homem no seio da Virgem Maria; dai-nos participar da divindade do nosso Redentor, que proclamamos verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Por nosso Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo”.

 

 

 

[1] RATZINGER, J., A infância de Jesus. São Paulo: Planeta, 2012, p. 32.

 

[2] CANTALAMESSA, R., Maria, um espelho para a Igreja. Aparecida, SP: Santuário, 1992, p.33.

Please reload

October 29, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Tags