google-site-verification=t0RqaUFOILcT8EBxg1NEFiP7WVYlBg00uilQ2klT440 Todos são chamados à vida de Santidade | Diocese de Rubiataba

© 2014 por PASCOM RuMo. Resiolli/WIX.com

Tel - (62)3348-6187

dioceserumo@hotmail.com

Rua João Paulo II, Q. 08, L. 06 St Camões 

76700-000 Mozarlândia/GO

Rubiataba-Mozarlândia

Todos são chamados à vida de Santidade

06/11/2016

A Igreja celebra neste domingo, 06 de novembro, a Solenidade de Todos os Santos. Na verdade, a data correta é 01 de novembro, antes do dia de finados. Mas, no Brasil, a solenidade de todos os santos é transferida para o domingo seguinte.

 

 

Origem da festa

Em Roma, na antiguidade, foi construído um templo dedicado a todos os deuses pagãos, chamado de Panteão. Depois da cristianização da cidade Romana, o Imperador decretou que o templo fosse dedicação não mais a muitos deuses, mas ao Deus Verdadeiro.

 

Para esse templo, convertido agora em Igreja Cristã, foram levadas as relíquias dos mártires e passou-se a celebrar aí todos os anos, em uma data especial, a memória de todos os que morreram dando a vida por Cristo ou em estado de santidade. Depois, em 835, o Papa Gregório IV, fixou a data em 1º de novembro, posteriormente estendendo a celebração a toda Igreja.

 

Celebrar a Santidade

Todos, pelo batismo, somos chamados a uma vida de santidade, não por nós mesmo, mas porque Deus é santo: “Sede santos como vosso Pai Celeste é santo” (Mt 5,48). Pode-se assim dizer que a santidade faz parte do próprio ser do cristão e deve ser a meta a ser alcançada por todo batizado que segue Jesus Cristo.

 

Todos somos chamados

A liturgia da Missa da Solenidade de Todos os Santos lembra que nós recebemos a marca ou o sinal de Deus (Ap 7,2-4.9-14). É a lembrança do Batismo, que nos faz santos, marcados para sempre com o sinal de Deus na fronte e no peito. A santidade é ainda universal: João vê uma multidão que não se pode contar de homens e mulheres, todos chamados por Deus e marcados por Ele.

 

O Apóstolo João, lembra-nos ainda que a santidade nos faz filhos e filhas de Deus, e não há maior prêmio do que a própria filiação divina. No entanto é preciso perguntar: nós fazemos jus a essa filiação? Somos dignos de sermos chamados de filhos e filhas de Deus, ou será que, como as nossas atitudes, estamos envergonhando nosso Pai?

 

Por fim, pode ficar uma pergunta: mas o que fazer e qual o caminho para santificar a vida? Jesus não nos deixa no escuro, mas oferece um caminho certeiro: as bem-aventuranças. Para ser santo é preciso ser: pobre em espírito (não pode de espírito), ter um coração manso, procurar a justiça, ser misericordioso, ter pureza no coração, promover a paz, não se importar em ser perseguido por causa da justiça  e, por fim, alegrar-se em sofrer por amor a Jesus.

 

A santidade é o caminho natural de quem quer estar mais próximo de Jesus. Festejamos a cidade do céu, a Jerusalém do alto, nossa mãe. Para essa cidade caminhamos à luz da fé, esperando o dia glorioso em que também nós faremos parte da multidão numerosa do céu.

 

Please reload

October 29, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Tags