google-site-verification=t0RqaUFOILcT8EBxg1NEFiP7WVYlBg00uilQ2klT440 Diocese de Rubiataba

© 2014 por PASCOM RuMo. Resiolli/WIX.com

Tel - (62)3348-6187

dioceserumo@hotmail.com

Rua João Paulo II, Q. 08, L. 06 St Camões 

76700-000 Mozarlândia/GO

Rubiataba-Mozarlândia

Dom José Carlos de Oliveira, CSSR 

(14 de setembro de 1979 - 27 de fevereiro de 2008)

Infância

Dom José Carlos de Oliveira nasceu no dia 14 de março de 1931 na cidade de Aparecida do Norte, SP. Filho do casal Carlos de Souza Oliveira e Judith Chagas de Oliveira, sentiu o desejo de ir para o seminário surgiu por volta dos 13 anos. Entrou para o Seminário Redentorista Santo Afonso no ano de 1944, sendo recebido pelo Padre Pedro Henrique, o mesmo que o havia recebido no Batismo.

 

Vocação

Cursou Filosofia no Seminário Maior Santa Terezinha, em Tietê, SP entre os anos 1952 e 1954. Em 1955 iniciou os estudos de Teologia. Foi ordenado sacerdote no dia 27 de janeiro de 1957. Cursou ainda Mariologia e Teologia Moral Afonsiana, em Roma, Italia.

Como pároco, foi enviado para a São João da Boa Vista em São Paulo. Durante 14 anos trabalhou junto a Ação Pastoral, as missões populares Redentoristas. Em 1975 foi escolhido para ser Provincial da Congregação e passou a residir em São Paulo.

 

Bispo

Foi ordenado Bispo no dia 25 de novembro de 1979, festa de Cristo Rei, na Catedral de Nossa Senhora da Glória, em Rubiataba. O sacramento foi lhe administrado pelo núncio apostólico, Dom Carmelo Rocco e pelos bispos Dom Juvenal Roriz e Dom Tarcísio Ariovaldo Amaral, Bispo de Limeira, SP.

 

Cuidado com os pobres

Dom José Carlos sempre teve um carinho muito especial pelos mais necessitados. Como bispo diocesano enfrentou vários desafios e ajudou a resolver muitos conflitos em favor dos menos favorecidos. Trabalhou junto à comunidade dos Tapuias, remanescentes de negros e escravos e índios. Lutou pela demarcação de suas terras, buscando apoio junto ao CIMI (Conselho Indígena Missionário). Depois foi a vez dos acampados, sem-terra lutando pelos seus direitos.

 

Cuidado com as vocações

A preocupação de Dom Carlos com o atendimento ao povo de Deus e seu cuidado pastoral levou-o a pensar na estrutura de formação para novos sacerdotes que pudessem evangelizar esta vasta extensão do sertão goiano. O primeiro sacerdote filho da diocese foi Padre Joaquim José Neto, o Padre Kinkas. Considerando que o Seminário foi a obra mais importante para o futuro da Igreja Diocesana, deu o máximo de si pelas vocações e o transformou na “menina de seus olhos”. Com as sementes lançadas vieram os primeiros frutos e muitos outros sacerdotes foram surgindo a partir do testemunho sempre fiel do pastor diocesano.

 

Dom Carlos teve importante participação também na fundação da Rádio Vale FM, Faculdade de Ciências e Educação de Rubiataba (FACER), Comunidade Terapêutica Vida Nova.

 

Em 2008, ao completar 77 anos de idade, renunciou ao governo diocesano após 29 anos de trabalho pastoral à frente do pastoreio do povo de Deus na Diocese de Rubiataba e Mozarlândia.